Cinco conselhos sobre a Acne

Todo o freguês acrescenta um ponto no que toca à acne. A uma certa altura das nossas vidas, sofremos com borbulhinhas e borbulhões que nos levam à busca de conselhos para lidar com a acne, dos mais amigáveis (“troca a capa da almofada com maior frequência”), erráticos (“já experimentaste óleo de côco?”), ou idiotas (“tens de lavar a cara”). Por carinho aos nossos leitores, vamos focar-nos apenas em conselhos positivos:

Nada de lavagens agressivas

Exemplo de um ciclo vicioso: lavam a cara com um produto destinado a peles oleosas/acneicas, e o rosto fica limpo, embora repuxado. A pele produz oleosidade em excesso para compensar o que perdeu. E como erradicaram os lípidos todos do rosto, a pele, na sua nova vulnerabilidade, faz espécie a tudo ao seu redor. Nasce uma nova borbulha. E, na esperança do milagre que nos foi prometido pelo produto de limpeza, utilizamo-lo de novo e rezamos. Não é demasiado tarde para abandonar este cenário! Basta trocar os produtos de limpeza agressivos (os destinados para peles acneicas são os maiores culpados) por outros que respeitem a pele após utilização, como as águas micelares, leites de limpeza ou até um gel de limpeza sem sulfatos. Ao lavar a cara, queremos frescura, não secura.

Reavaliem o vosso spot treatment

Spot treatments ou corretores locais – aquelas bolinhas divertidas que pintamos em cima das borbulhas – podem ser um pouco secantes. Desde que descobri os COSRX Acne Pimple Master Patches no verão passado, os meus outros spot treatments perderam exclusividade: estes curativos hidrocolóides, como por magia, absorvem os fluidos das borbulhas sem secarem toda a vida dos poros e fazem com que o processo de cicatrização seja mais calmo – além disso, impedem que andem a escarafunchar as borbulhas com os vossos dedos. Querem mais um bónus? São transparentes, discretos, e podem utilizar durante o dia – ao contrário das pintarolas brancas ou em tons terra. Diria que são a perfeição, mas tudo tem um senão: só revelam a sua eficácia em borbulhas com fluidos. Por isso, não deixem de lado os vossos spot treatments habituais, e alternem os tratamentos conforme o estado da acne. Nota final: não, pasta de dentes não conta como correção local.

A hidratação é essencial

Há muito tempo atrás, eu, munido apenas com um gel de limpeza para peles acneicas, achava-me acima dos hidratantes, com o argumento de que a minha pele auto-hidratava-se. Ao recordar esses tempos, só consigo dar um risinho de desprezo pelo meu eu anterior. Não só precisam de um hidratante para reforçar a barreira cutânea e trazer firmeza ao rosto, como para ajudar a regular a produção sebácea – é como se dissessem às vossas glândulas sebáceas, “como agora temos mais umas pessoas a trabalhar, já podem voltar ao vosso ritmo de trabalho regular, e acabaram-se as horas extraordinárias”.

Não há desculpas! Com texturas em gel, em cremes leves ou com fórmulas que fundem os dois, o mercado contêm fórmulas para hidratar as peles oleosas – uma escolha de confiança e não-comedogénica (não entope os poros) é o La Roche-Posay Effaclar Duo +, um gel-creme que foi o rito de passagem para muitos de nós que, ao entrar para o secundário, sofreram de surtos de acne inesperados.

Não abusem dos ácidos

É provável que, ao pesquisar sobre maneiras de ultrapassar a acne, descobriram a exfoliação química – o uso de ácidos para remover células mortas e queratina em excesso na pele. Parece assustador, mas ao pesquisar sobre os diferentes tipos de ácidos, babaram com as fotos dos antes e depois, e pensaram: esta é uma boa ideia. Eu também fiz isto, e começou bem: algumas cicatrizes começaram a desvanecer e a minha pele ganhou um brilho real, e não fabricado por óleo, até porque a produção sebácea tornou-se menos evidente.

Os ácidos podem ser nossos amigos, mas se nos deixarmos levar, acabamos com uma punhalada pelas costas. Aliciado pelos resultados, comecei a aumentar a frequência de utilização de forma tão frenética e ignorei os factos: ao exfoliar excessivamente, a superfície da pele torna-se frágil e exposta a irritações, e a partir daí, foi o descalabro – o que me levou ao próximo passo.

Consultem um dermatologista

A vida glamorosa de um editor de beleza é muito engraçada, mas sem a sabedoria superior dos dermatologistas, a nossa probabilidade de cair em graça seria tão certa como a conta da luz no final do mês. Podemos aconselhar, recomendar, mas só um dermatologista pode realizar diagnósticos experientes, além de poder receitar isotretinoína, fazer peelings com maior impacto e proporcionar outras experiências que não se encontram nas prateleiras das lojas nem podemos enfiar no carrinho de compras online.

Não há conselho tão bom como este. Sabemos que nos tempos de agora, uma consulta nem sempre pode encaixar-se no nosso orçamento, o que me leva a partilhar outro dos meus exemplos infelizes: em vez de investir numa consulta, gastei o dobro em produtos que não resultaram ou que utilizei de forma indevida, que me trouxeram aonde? Ao consultório do dermatologista.

COSRX Acne Pimple Master Patch, apx. 4€, Jolse. / La Roche-Posay Effaclar Duo +, apx. 14€, Skin.pt, Sweetcare, farmácias e parafarmácias.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *